quinta-feira, 30 de junho de 2011

♫ Life Is For Living - Barclay James Harvest ♫





You and me, our life is drifting along
Watching the world as its singing it's song
High above, someone is calling to me
Life is for living and living is free

You to me, are like the sun in the sky
See how you fly you have wings of your own
You and me, our love will last without end
Ride with the wind won't you follow me home

Turn around and see the circles we spin
And were taking our chances on where we begin
Up above, the rain is falling on me
Life is for living and living is free

You to me, are like the sun in the sky
See how you fly you have wings of your own
You and me, our love will last without end
Ride with the wind won't you follow me home

Taking up time trying to write a line till the break of day
Given a sign can you make it rhyme tell me what to say
Making it fine can you ease my mind help me drift away

Turn around, and see the circles we spin
Taking our chances on where we begin
Up above, the rain is falling on me
Life is for living and living is free

You to me, are like the sun in the sky
See how you fly you have wings of your own
You and me, our love will last without end
Ride with the wind won't you follow me home

Barclay James Harvest


quarta-feira, 29 de junho de 2011

Pudesse Eu - Poema de Sophia de Mello Breyner Andreson




Pudesse eu não ter laços nem limites
Ó vida de mil faces transbordantes
Para poder responder aos teus convites
Suspensos na surpresa dos instantes!

Sophia de Mello Breyner Andreson


segunda-feira, 27 de junho de 2011

DIVAGANDO pelos Castelos da Escócia


Os castelos são marcos da civilização de uma região, com jardins extraordinários ou paisagens deslumbrantes, para além do património histórico e arquitectónico que representam, eles são fontes de histórias, lendas e mistérios.

Hoje vamos Divagar por alguns dos lindíssimos Castelos da Escócia.




Castelo de Balmoral
O Castelo de Balmoral, é conhecido como Royal Deeside e localiza-se na área de Aberdeenshire, na Escócia. Foi adquirido em 1852 pelo Príncipe Alberto, marido da Rainha Vitoria sendo a residência de Verão da Família Real Britânica.



Castelo Caerlaverock
Localiza-se a Sudeste de Dumfries. Com um imponente portão ladeado por torres gémeas, precedido por um fosso e imponentes muralhas ameadas, Caerlaverock é a epítome das fortificações medievais.



Castelo de Culzean
Este castelo fica perto de Maybole, em Carrick, na costa de Ayrshire. O castelo encontra-se em posição dominante sobre uma formação rochosa no actual Culzean Castle Country Park e encontra-se aberto ao público. Desde 1987 uma ilustração deste castelo encontra-se figurada no reverso das notas de cinco libras emitidas pelo Royal Bank of Scotland.



Castelo de Dunvegan
O Castelo de Dunvegan sempre foi a morada do clã MacLeod e é o mais antigo na Escócia usado sempre pela mesma família.



Castelo de Dunrobin
A 1,6 km a norte de Golspie, com 187 quartos. Foi construído em 1275 e ampliado no século XVII e em finais do XVIII. A maior parte da estrutura actual foi construída entre 1845 e 1850. Residência dos condes e dos duques de Sutherland, conserva móveis de grande valor e dá uma ideia da vida nobreza escocesa.



Castelo de Dunnottar
A principal atracção de Stonehaven fica na costa, 3 km a sul da povoação. As ruínas da fortaleza estendem-se sobre um promontório coberto de erva, que se eleva a 50 metros sobre o mar. Foi aqui rodada a versão de Hamlet, protagonizada por Mel Gibson pelo realizador de cinema Zeffirelli. A fortaleza primitiva foi construída no século IX.



Castelo de Eilean Donan
Situado à entrada do lago Duich, no seu interior, há uma exposição da história da região e elementos decorativos de interesse: escadas em caracol, tectos abobadados, móveis do século XVII e uma recreação da cozinha de 1932. Destruído em 1719, foi reconstruído entre 1912 e 1932.



Castelo de Edimburgo
É uma antiga fortaleza que domina a silhueta da cidade de Edimburgo, a partir da sua posição no topo do Castle Rock (Rochedo do Castelo). Trata-se de um dos mais importantes castelos do país. A ocupação humana no local remonta ao século IX. No entanto, poucas das estrutruras do castelo actual são datadas antes do cerco Lang do século XVI, com a notável excepção da Capela de Santa Margarida, o mais velho edifício sobrevivente de Edimburgo, a qual remonta ao início do século XII. Entre as suas atracções estão as jóias da Coroa Escocesa: a Coroa, a Espada e o Ceptro encontram-se entre as mais antigas da Europa.



Castelo de Fyvie
Fica situado a 13 km a sul de Turrif, em Aberdeenshire. O início da construção do castelo remonta ao século XIII. Fyvie foi o local de um tribunal ao ar livre realizado por Robert, o Bruce, e Carlos I de Inglaterra passou aí a sua infância.



Castelo de Glamis
Cenário de Macbeth, encarna a essência do castelo escocês, tendo como pano de fundo os montes Grampianos e um extenso e espectacular parque. Foi sujeito a profundas reformas no século XVII. No interior, o que mais impressiona é o salão, com o tecto enfeitado de molduras. A cripta contém uma exposição de armas e armaduras e as paredes da capela estão cobertas de frescos. Podem percorrer-se os aposentos reais, incluindo o quarto da Rainha-Mãe.



Inveraray Castle
Castelo localizado perto de Inveraray em Argyllshire, foi construído pelo 3º Duke de Argyll em 1740.



Lauriston Castle
O Lauriston Castle é um palácio com vista para o Fiorde de Forth, em Edimburgo. Foi construído no século XVI como torre-casa, tendo sido ampliado no século XIX. Os jardins de Lauriston incluem um notável Jardim Japonês.



Castelo Fraser
O Castelo Fraser localiza-se em Kemnay, no condado de Aberdeenshire. É o castelo de planta em "Z" mais elaborado do país e um dos maiores "Castelos de Mar". Está inscrito em um parque aberto de 121,41 hectares com terras de cultivo, que inclui um jardim e floresta.




Castelo de Urquhart
As destruições e reconstruções foram tão frequentes que é quase impossível adivinhar a sua história. Em 1600 já não tinha utilidade, pois existiam outras residências mais cómodas e fortalezas poderosas como Fort William e Inverness. Em 1692 foi destruído para evitar que fosse tomado pelos jacobitas. Os seus restos debruçam-se sobre o lago Ness.



Fontes: Wikipedia; http://www.scotland-inverness.co.uk/; http://www.rampantscotland.com/; Outros



Mesmo não sendo possível fazer uma viagem física, nada nos impede de conhecer novos locais, novos costumes, desde paisagens de sonho a castelos encantados, tudo é possível se abrirmos a nossa alma e deixarmos o nosso espírito divagar através de fotografias, pois estas conseguiram fixar para sempre aquele momento ou aquele local, fazemos assim uma viagem virtual. Por isso gosto tanto de fotografia!

domingo, 26 de junho de 2011

Ter ou ser


Para este Domingo deixo uma reflexão que me pareceu bem pertinente nos tempos que correm, onde cada vez mais o lado humano vai sendo gradualmente substituído pelo lado racional. A felicidade encontra-se em pequenas, grandes coisas do dia-a-dia, no sorriso de um criança, na beleza e perfume de uma flor, num gesto ou numa palavra amiga de alguém, enfim poderão ser tantos os momentos mágicos que elevam e fazem sentir feliz o nosso coração, basta para isso pensarmos mais no SER e menos no Ter.





“A nossa correria diária não nos deixa parar para perceber se o que temos, já não será o suficiente para nossa vida.

Nos preocupamos muito em TER: ter isto, ter aquilo, comprar isto, comprar aquilo.

Os anos vão passando, quando nos damos conta, esquecemos do mais importante que é VIVER e SER FELIZ!




Muitas vezes para ser Feliz não é preciso Ter, o mais importante na vida é SER.

As pessoas precisam parar de correr atrás do Ter e começar a correr atrás do SER:
Ser Amigo, Ser Amado, Ser Gente.

Tenho certeza de que, quando SOMOS, ficamos muito mais FELIZES do que quando Temos.




O SER leva uma vida para se conseguir e o Ter muitas vezes conseguimos no momento.

O SER não se acaba nem se perde com o tempo, mas o Ter pode terminar logo.

O SER é eterno, o Ter é passageiro. Mesmo que dure por muito tempo, pode não trazer a Felicidade... E é aí que vem o vazio na vida das pessoas...

Por isso, tente sempre SER e não Ter.
Assim você sentirá uma Felicidade sem preço!

Espero que você deixe de cobrar o que fez e o que não fez nos últimos anos e que você tente o mais importante:

SER FELIZ!”

Autor Desconhecido




"Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe. (Oscar Wilde)


Selinho da Amiga Maria Luísa Adães pelos seus 300 Seguidores


Este selinho lindo é um miminho da amiga poetisa Maria Luísa Adães, do blog " Os 7 Degraus", pelos seus 300 seguidores.



Amiga muitos parabéns,  merece esses e muitos mais amigos, pois no seu cantinho a poesia reina o que o torna muito especial.


"A amizade duplica nossas alegrias e divide nossa tristeza. ."

Selinho comemorativo de 1 Ano de Vida do Blog "VidasLife"


Selinho comemorativo do 1º aniversário do "VidasLife", um blog que prima pela qualidade, sensibilidade e bom gosto.

Muitos parabéns amiga Roseli pelo aniversário do seu cantinho, havemos de comemorar muitos e muitos anos.
Beijinhos
Maria


 

"A amizade duplica as alegrias e divide as tristezas." Francis Bacon

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Jasmim-manga - Plumeria rubra


O Jasmim-manga (Plumeria rubra - nome científico) também conhecida por Árvore-pagode, jasmim-de-são-josé, jasmim-do-pará, jasmim-de-caiena ou Frangipane, é uma árvore exótica, encantadora, com lindíssimas flores perfumadas.



Originalmente nativa do México, América Central, Colômbia e Venezuela, tem sido amplamente cultivada em climas subtropicais e tropicais do mundo inteiro.



O jasmim-manga é uma árvore que pode atingir um porte entre 4 m e 8 m. É frequentememte utilizada por paisagistas pois permite um magnífico efeito ornamental. Os seus caules são grossos e lisos, de cor cinzenta ou bronzeada e formato escultural. Os caules e ramos apresentam uma seiva leitosa que é tóxica. Pode ser utilizada isolada ou em grupos.



As folhas são grandes, largas e brilhantes, nascem nas extremidades dos ramos e caem entre o Outono e o inverno. As suas flores formam grandes inflorescências terminais, e são de cor rosa ou vermelha, havendo variantes brancas e amareladas. As suas flores exalam um odor suave, semelhante ao das flores de jasmim.



Condições de cultivo:

Solo: solos arenosos, férteis, bem drenados, não tolera solos encharcados.



Regas: : Regar bem no plantio e nos próximos dias.

Luz e Clima: Requer plena exposição ao sol e não tolera frio nem geadas.



Reprodução/ Propagação : Por estacas.

Floração:: A floração inicia-se no fim do inverno e permanece pela primavera.



Curiosidades: As flores são utilizadas para a confecção de colares havainos, conhecidos como leis.

Fontes e Fotos: “Mundodeflores”, “Wikipedia”; “JardimdeFlores”,.”jardineiro.net”; “Flores guia”; “Floresnaweb”; http://www.botany.hawaii.edu/; outros



"Ilumine a sua vida com a delicadeza das flores" (autor desconhecido)

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Amizade Pura - Poema de Machado de Carlos




Amizade Pura

Quando voa o dia, a noite cobre o ninho: -
Vejo na estrela tua beleza pura,
tua amizade tem cor brilhante e púrpura,
e leva-me a um mundo cristalino.

Curto teu rosto de rara menina,
volto a contemplar a luz da lua!...
Hoje no roseiral da tua doçura
chego a uma roseira cristalina!

O dia tornou-se amigo no quintal,
já tenho teu abraço forte e leal...
Caminhei tempos... tempos de realeza

e te encontrei na Terra com amor...
Pinto letras na tela com mais cor,
e agradeço-lhe por ter tua nobreza!...

Soneto do amigo Poeta Machado de Carlos do Blog "Machado de Carlos"
Obrigado Amigo, um grande beijinho.


quarta-feira, 22 de junho de 2011

Tchaikovsky um dos grandes Mestres da Música Clássica




Swan Lake: Waltz _ Tchaikovsky


Piotr Ilitch Tchaikovsky nasceu a 7 de maio de 1840 , em Vyatka Guberniya, hoje Votkinsk, Rússia. Desde muito cedo Tchaikovsky interessou-se pela música.


O seu primeiro contato foi aos cinco anos com um velho órgão mecânico que havia na sua casa, onde aprendeu algumas árias da moda ajudado pela sua mãe.
Em 1848 a família fixa-se em São Petersburgo, onde o compositor teve as primeiras aulas teóricas musicais com diversos professores particulares, entre eles o maestro Filipov.



A família no entanto desejava que fosse advogado pelo que em 1850 foi estudar para a Escola de Direito de São Petersburgo onde estudou até 1859, mostrando-se um aluno muito aplicado. Durante este período, em 1854, morreu a sua mãe o que o marcou profundamente.
Tchaikovsky decide em 1863 dedicar-se inteiramente a carreira musical. Opondo-se totalmente às expectativas da família, abdica da carreira jurídica e matricula-se no Conservatório de São Petersburgo, onde permanece três anos. O pai foi o seu suporte e financiador até os 25 anos.

 

Em 1876, Nikolai Rubinstein apresenta Tchaikovsky à baronesa Nadyezhda von Meck, que se sente profundamente atraída pela sua obra. Inicialmente a baronesa o incumbe em algumas transcrições para violino e piano, mas em seguida converte-se em mecenas de Tchaikovsky, sob a única condição de se comunicarem somente por carta. Essa correspondência durou catorze anos, sem nunca se terem visto. O mecenato resguardou Tchaikovsky de dificuldades financeiras durante esse tempo.

Nadyezhda von Meck

Em 1877 preocupado com os mexericos sobre a sua vida sexual, Tchaikovsky, casa-se com uma aluna do Conservatório de Moscou, Antonina Miliukova. Devido à sua homossexualidade foi um casamento infeliz e de pouca duração, que culminou com uma tentativa de suicido que quase o levou à morte.



Como regente das suas composições, Tchaikovsky conheceu a glória internacional. Nos Estados Unidos o sucesso foi tanto que, em 5 de maio de 1891, foi Tchaikovsky quem inaugurou a que se tornaria uma das salas de concertos mais importantes do mundo: o Carnegie Hall de Nova Iorque.

Tchaikovsky compôs concertos, Óperas, Balés, Sinfonias, Aberturas e outras obras para orquestra; Suites, Música de Câmera, peças para piano e também para corais.

Em junho de 1893, Tchaikovsky recebe o título de Doutor Honoris Causa da Universidade de Cambridge.

Em outubro do mesmo ano a sua saúde agrava-se profundamente. Dia 6 de novembro de 1893 Tchaikovsky morre aos 53 anos, em São Petersburgo.

Fontes : Wikipedia

"A música é celeste, de natureza divina e de tal beleza que encanta a alma e a eleva acima da sua condição." (Aristóteles)

terça-feira, 21 de junho de 2011

♫ Dance me... To the end of love - Leonard Cohen ♫





Dance Me To The End Of Love

Dance me to your beauty with a burning violin
Dance me through the panic 'til I'm gathered safely in
Lift me like an olive branch and be my homeward dove
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love

Oh let me see your beauty when the witnesses are gone
Let me feel you moving like they do in Babylon
Show me slowly what I only know the limits of
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love

Dance me to the wedding now, dance me on and on
Dance me very tenderly and dance me very long
We're both of us beneath our love, we're both of us above
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love

Dance me to the children who are asking to be born
Dance me through the curtains that our kisses have outworn
Raise a tent of shelter now, though every thread is torn
Dance me to the end of love

Dance me to your beauty with a burning violin
Dance me through the panic till I'm gathered safely in
Touch me with your naked hand or touch me with your glove
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love

Leonard Cohen

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Visitar Manteigas na Primavera


No início deste mês de Junho fui visitar novamente Manteigas, “O coração da Serra da Estrela” como diz o seu cartaz de apresentação. É uma vila lindíssima rodeada por grandiosas paisagens de grande beleza natural, situada no Distrito da Guarda em plena cadeia montanhosa da Serra da Estrela, a mais elevada em Portugal Continental.




Foi um fim-de-semana excelente e hoje proponho levá-los comigo a visitar alguns dos lindos locais de Manteigas, acompanhados com um pouco da sua história.

O primeiro foral de Manteigas foi-lhe concedido por D. Sancho I no ano de 1188. D. Manuel I concedeu-lhe o novo Foral a 4 de Março de 1514 em Lisboa. Este além do interesse que tem como documento comprovativo da autonomia da vila na época, assume grande significado por nele se achar a referência mais antiga e segura ao foral que D. Sancho I concedeu a Manteigas.

Está localizada em pleno Vale Glaciar do Zêzere, que com a sua forma perfeita em 'U' é um dos melhores exemplos da modelação da paisagem pelos glaciares.


Foto: Pessoal

Do Património edificado de Manteigas pode-se salientar:

• Igreja da Misericórdia
• Capela de Nossa Senhora de Fátima
• Igreja Matriz de Santa Maria


Foto: Pessoal

• Capela de Santa Luzia
• Capela do Senhor do Calvário
• Igreja de São Pedro

A vila é cheia de recantos incríveis. Numa das suas pequenas mas encantadoras ruas, junto a um pequeno ribeiro fomos encontrar um restaurante incrível: o “Dom Pastor". O restaurante é acolhedor, com um serviço que prima quer pela qualidade e apresentação cuidada da comida, quer pelo atendimento profissional e gentil do seu pessoal. Deixo aqui o seu site para quem queira conhecer um pouco mais “Dom Pastor”.


Foto: Pessoal

Manteigas tem locais encantadores, um património natural riquíssimo, hoje apenas indico alguns entre os muitos que há a salientar:

■ Valhelhas
Valhelhas é uma pequena povoação de origens muito antigas, situada num lindíssimo vale, na margem esquerda do rio Zêzere. Na Idade Média, Valhelhas foi doada à Ordem do Templo e aos seus frades, e posteriormente à Ordem de Cristo. As suas ruas tranquilas albergam um importante Património, como o Pelourinho datado de 1555 situado em frente ao antigo edifício dos Paços de Concelho e Cadeia, hoje Junta de Freguesia, a igreja Matriz de Santa Maria Maior de origens bem antigas, a Ponte Velha sobre o rio Zêzere, a Capela do Divino Corpo Santo de 1503, a Capela de Santo Antão ou São Sebastião datada de 1577.



Foto: Pessoal

Para comer divinalmente, recomendo nesta linda povoação, dois restaurantes pela excelente qualidade da comida e do serviço:

■ Restaurante Vallecula
■ Restaurante “Soadro Zêzere

■ Poço do Inferno
Um local que me fascina sempre e é, de há longa data um dos ex-libris da Serra da Estrela é o Poço do Inferno. A cascata, com cerca de 10 metros, deve-se à variação da litologia dos locais atravessados pela Ribeira de Leandres.





Algumas estradas pelo meio das montanhas são estreitas e nalguns sítios quase não dá para passarem dois carros, mas vale bem a pena percorrê-las. No meio das árvores surgem por vezes paisagens deslumbrantes, que podem ser apreciadas a partir de muitos miradouros, que se encontram de ambos os lados da estrada.



Foto: Pessoal

■ O vale glacier do Zezêre
Na subida para a Torre passámos pelo Vale Glaciar do Zêzere. Corresponde à maior língua glaciar da Serra da Estrela e uma das maiores da Europa, atingindo cerca de 13 km de extensão. Este vale é "diferente" por ser formado por um glaciar e não pelo rio que lhe dá o nome. Um glaciar é uma massa de gelo que se move de zonas de relevo mais altas, para zonas de relevo mais baixas e, através desse movimento, a rocha sobre a qual o glaciar passa, vai-se desgastando. Com esse desgaste, forma-se um vale em forma de "U" (se fosse um vale formado por um rio e não por um glaciar, o vale teria a forma de um "V").





O vasto comprimento deste vale glaciar é devido ao facto de ter sido alimentado por várias línguas: a língua da Nave de Santo António, Covão da Ametade, Candieira e Covões. Breve paragem na fonte Paulo Luís Martins datada de 1951 para beber água bem fresquinha que corria vinda do alto da montanha.



Foto: Pessoal

■ Covão da Ametade
Próxima paragem foi no Covão da Ametade. Este parque fica encaixado entre imponentes falésias. O Rio Zêzere, corre por entre frondosas árvores e pode ser atravessado por meio de pequenas pontes de madeira.



Foto: Pessoal

Na subida para a Torre, atravessamos um túnel escavado na montanha e como não havia trânsito, deu para parar e sentir a grandeza desta paisagem deslumbrante.



Foto: Pessoal

■ Nossa Senhora da Estrela
Paragem obrigatória para observar a Nossa Senhora da Estrela, esculpida em baixo relevo, na rocha, situada no Covão do Boi. A Senhora da Boa Estrela é padroeira dos Pastores e foi inaugurada em 1946.



Foto: Pessoal

A escultura, com mais de 7 metros de altura, foi elaborada por António Duarte, partindo de uma ideia do Pároco local que assistiu à demonstração de fé local quando foi implantado um Cruzeiro no ponto mais alto da imensa Serra da Estrela, e desejou prestar homenagem à Santa protectora dos Pastores que enfrentam há séculos as intempéries da agreste região. Uma escadaria, também esculpida na pedra, permite chegar mesmo á base da escultura.

Cada miradouro ao longo da estrada tem mais um ponto de interesse para ser observado. Desta vez foi para apreciar o enorme maciço rochoso do Cântaro Magro.



Foto: Pessoal

■ Torre
Paragem na Torre, segundo ponto mais alto de Portugal, situado a 1993 metros de altura. Um marco geodésico assinala o ponto mais elevado da Serra da Estrela.



Foto: Pessoal

Na rotunda foi construída também a Torre com cerca de 7 metros de altura e que deu o nome ao local. Conta-se que o referido torreão foi mandado construir, em 1802, pelo príncipe D. João VI, com o objectivo de fazer com que a Serra da Estrela alcançasse os 2 000 metros de altitude.



Foto: Pessoal

Na Torre para além de restauração e lojas com produtos típicos da região, encontra-se também a capela de Nossa Senhora do Ar.



Foto: Pessoal

■ Lazer e desporto

Skiparque
Em pleno Parque Natural da Serra da Estrela, a 7km de Manteigas, atravessado pelo Rio Zêzere, o Skiparque oferece a possibilidade de fazer Ski e Snowboard todo o ano em pistas sintéticas, disponibilizando ainda aulas com monitores de ski.  Visite o seu site para ficar a saber um pouco mais, em "Skiparque".




O complexo dispõe ainda de um Parque de Campismo, Parque Aventura, uma Praia Fluvial e bares de apoio. Num vale rodeado de vegetação e montanhas, com água límpida a correr, é um local onde se respira paz e serenidade.





Todo o enquadramento está maravilhoso e com as cerejeiras em flôr ainda se torna mais encantador.




Parapente – “Clube Vertical”
Para quem gosta de emoção nada melhor do que um voo de parapente sobre uma paisagem deslumbrante. A Escola de Parapente da Serra da Estrela é uma Escola de Voo Livre de montanha. O “Clube Vertical” dá formação desde a iniciação até ao nível 5. A Escola está sedeada no Sameiro.
De 25 a 30 de Junho irá realizar-se a uma prova do “Open Nórdico de parapente 2011”, uma das competições de parapente mais importantes da Europa. Para mais informações visite o seu site: “Clube Vertical”.



Foto: Net

A região prima por uma beleza natural única, com paisagens absolutamente magníficas, que associada a uma excelente gastronomia e à gentileza das suas gentes, faz com que fique sempre a vontade de voltar.

Vá visitar, Vale a pena!

Fontes e Fotos: Wikipedia; http://www.cm-manteigas.pt/; http://www.igespar.pt/ ; http://www.rotasturisticas.com/; http://torreserradaestrela.com/; http://www.seleccoes.pt/; http://covaodaametade.com/; Olhares; Panorâmio; Trekearth; outros.



Foto: Pessoal

Sempre que viajamos seja física ou virtualmente (através por exemplo da leitura), alargamos os nossos horizontes, pois vamos conhecer novos locais, novos costumes, novas realidades e gentes. Aumentamos o nosso conhecimento e enriquecemos interiormente.