quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

♫ The Beginning Song ♫ Rita Redshoes




The Beginning Song

You came to this world
To see what I've done
And it's fine

So come and let's start
I'll give you all my heart
This time

Don't walk away
Cause baby I will love you more
I have this feeling
You're who I've been looking for
So close your eyes
And read the signs
It's time to sore

You came to this world
To change what I've done
It's all right

But now you must stare
You can pretend you're there
If you're mine

Don't walk away
Cause baby I will love you more
I have this feeling
You're who I've been looking for
Don't turn away
It's time to stay
There's nothing more



quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Reflexão





Há certas almas como as borboletas,
cuja fragilidade de asas não resiste
ao mais leve contato, que deixam ficar
pedaços pelos dedos que as tocam.

Em seu vôo de ideal, deslumbram
olhos, atraem as vistas:
perseguem-nas, alcançam-nas, detêm-nas
mas, quase sempre, por saciedade
ou piedade, libertam-nas outra vez.

Elas, porém, não voam como dantes, ficam
vazias de si mesmas, cheias de desalento...
Almas e borboletas, não fosse a tentação
das cousas raras; - o amor de néctar,
- o néctar do amor, e pairaríamos nos cimos
seduzindo do alto, admirando de longe!...


Gilka Machado


terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Catedral de Sal de Zipaquirá


Foto: Flickr_Robert Schrader


Zipaquirá é uma das mais antigas cidades da Colômbia, no departamento de Cundinamarca, conhecida principalmente pela sua Catedral de Sal, uma igreja subterrânea construída dentro de um depósito de sal num túnel feito como resultado da escavação das salinas.


Foto: TrekEarth_Roland Monsegu


A acumulação salina no meio da cordilheira oriental colombiana formou-se há mais de 70 milhões de anos quando ainda existia um mar que ocupava toda a região. Ao formar-se a Cordilheira Oriental, esse mar secou e deixou um enorme depósito de sal sepultado que se solidificou até chegar à formação de rochas de sal. A acumulação dos depósitos de sal formaram montanhas acima do nível do altiplano, o que facilitou a escavação de túneis para a sua extração.


Foto:wikipedia_Remi Jouan


Em 1932, Luis Ángel Arango teve a ideia de construir uma capela subterrânea levado pela devoção que os operários demonstravam antes de iniciar a sua jornada de trabalho. Estes enfeitavam os socavões com imagens religiosas dos seus santos aos que pediam bênção e protecção.


Foto: wikipedia_Tequendamia


A construção da catedral antiga começou a 7 de Outubro de 1950 e foi inaugurada a 15 de Agosto de 1954 nas antigas galerias cavadas pelos muiscas dois séculos antes. A mina possuía então quatro níveis de escavação, cada um de eles com um comprimento de 80 m . A Catedral Salina estava situada no segundo nível da montanha.


Foto: Wikipedia_Novoaparra


A Basílica foi dedicada a Nossa Senhora do Rosário, Padroeira dos Mineiros e tinha um comprimento de 120 m, uma superfície habitável de 5.500 m² e uma altura de 22 m . No seu interior podia albergar 8.000 pessoas. Ao fundo da basílica localizava-se uma grande cruz de madeira, iluminada desde a sua base e que projectava sobre o teto uma sombra que simbolizava a um Cristo com os braços abertos. Na nave direita encontravam-se o coro e as estações do Via Crucis decoradas com grandes números romanos dourados. No fundo desta nave situava-se a capela da Virgem do Rosário, em cujo altar lavrado na rocha estava a imagem da Virgem, moldada por Daniel Rodríguez Moreno, transferida posteriormente para a capela nova.


Foto:wikipedia_Remi Jouan


Com o passar dos anos a primeira Catedral começou a ser insegura e foi fechada em 1990. Em Dezembro de 1995 foi inaugurada a actual Catedral, que se situa 60 m por baixo da Catedral antiga, a cerca de 180 metros sob a terra. Para construí-la extraíram-se 250 mil toneladas de rocha de sal. Esta mina é a maior reserva de rocha salina do mundo.


Foto: Email recebido


É um projeto do arquiteto Roswell Garavito Pearl. O desenho compreende as seguintes três secções principais:

♦ O Via Crucis: A porta de ingresso que conduz ao túnel, ao longo do qual se encontram as estações do Via Crucis, que consistem em pequenos altares talhados em rocha de sal. O túnel conduz até à Cúpula.


Foto: wikipedia_Remi Jouan


A Cúpula, a rampa de descenso e as varandas: A seção intermédia parte desde a Cúpula e daí se pode descer para as varandas sobre as câmaras, o coro e as escadas do labirinto do Nártex.


Foto: Wikipedia_Novoaparra


♦ As naves da Catedral: O trecho final conduz ao centro da Catedral onde se dividem as estruturas espaçais da mesma. Estas estruturas estão intercomunicadas por uma fenda que simboliza o nascimento e morte de Cristo. Na nave central está a cruz de 16 m, o altar-mor e o comungatório que separa o santuário da Assembléia; na profundeza da nave encontra-se "A Criação do Homem", homenagem a Michelangelo, obra talhada em mármore do escultor Carlos Enrique Rodríguez Arango.

Foto:Email recebido


Quatro imensas colunas cilíndricas simbolizam os quatro evangelistas e estas estão atravessadas por uma fenda que simboliza a Natividade. O sistema de iluminação azul colocado nas paredes acentua o ambiente religioso das grutas.

A Catedral faz parte do complexo temático O Parque do Sal, o qual tem uma área de 32 ha e constitui uma reserva natural.


Foto: wikipedia_Remi Jouan


Para conhecer mais informações sobre este local incrível pode visitar o site Oficial: Catedral de Sal

Fontes e Fotos: Wikipedia, Flickr, http://www.catedraldesal.gov.co/, http://www.colombia.travel/, TrekEarth, outros net


* Fotos: Net
As fotografias sem indicação dos autores é porque não os consegui identificar. Se forem suas, por favor queiram contactar-me que colocarei imediatamente o seu nome, ou retiro-as se for esse o seu desejo. Não é de maneira nenhuma minha intenção quebrar direitos de autor.

Photographs without the authors’ names are because I could not identify them. If they are yours, please contact me and I will put immediately your name, or remove them, if that is your wish. It is not my intention to break authors rights.

domingo, 27 de janeiro de 2013

Não desista




Quantas vezes estamos tristes, desmotivados, meio perdidos ou até estamos passando por algum período de muito sofrimento.

Coisas assim acontecem com todos, mas tenho algo a dizer para você: Não desista!



Depois de toda chuva não vem o sol?
Depois de toda noite não vem o dia?
Motive-se.
Seja lá pelo período que você esteja passando agora as coisas vão melhorar.
Sempre melhoram, é só aguardar.




Olhemos para trás e vejamos tudo o que já aconteceu.
E se tivéssemos desistido bem no inicio, estaria onde está hoje? Não.
Você ganhou o que tem e está aqui hoje porque não desistiu.
Então não desista agora, continue em frente.




Peça ajuda a Deus para que lhe guie e dê sabedoria, porque Ele pode te ajudar quando você estiver triste e desmotivado.

Peça a Ele para te dar mais força para você aguentar esse período difícil e para que não desista.
Vamos, sei que você consegue.
Fale com Ele.



Agora levante a cabeça e olhe em frente.
Pense em todas as coisas boas que podem acontecer quando o sol brilhar forte novamente.
Siga em frente, espere o melhor e não desista.
Jamais desista.
Sempre adiante.

Texto - SITE: Momento de Reflexão
Fotos: Net




"E provável que o Senhor tenha criado a esperança no mesmo dia em que criou a primavera." (Bern Williams)

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Nova Zelândia - New Zealand


Por vezes não é possível viajar, as razões podem ser várias, falta de dinheiro, de saúde, idade avançada, enfim podem existir diferentes factores e motivos. No entanto, isso não deve ser impeditivo de conhecer novos locais e costumes, podemos viajar sem sair da nossa cadeira, vendo fotografias que nos transportam, se assim a nossa predisposição quiser, a lugares longínquos.

Hoje vamos viajar até à … NOVA ZELÂNDIA

Boa viagem!

Foto: wallpapers.varjati.com


A Nova Zelância é um país insular no sudoeste do Oceano Pacífico formado por duas ilhas principais e um algumas ilhas menores, situadas perto do centro do hemisfério de água. As principais ilhas do Norte e do Sul são separadas pelo Estreito de Cook, com 22 km de largura no seu ponto mais estreito. Além das duas ilhas principais, as cinco maiores ilhas habitadas são a Ilha Stewart, Ilhas Chatham, Ilha Grande Barreira (no Golfo de Hauraki), Ilha D'Urville e a Ilha Waiheke.


Foto: Email recebido


Por causa de suas distantes ilhas periféricas e de seu longo litoral, o país tem extensivos recursos marinhos. É notável pelo seu isolamento geográfico, está situada a cerca de 2 000 km a sudeste da Austrália, separados através do mar da Tasmânia e os seus vizinhos mais próximos ao norte são a Nova Caledônia, Fiji e Tonga.


Foto: Email recebido


Foi uma das últimas terras a serem colonizadas por seres humanos. Estudos feitos sugerem que a Nova Zelândia foi fundada pelos polinésios do leste entre 1250 e 1300, concluindo uma longa série de viagens pelas ilhas do Pacífico sul. Ao longo dos séculos que se seguiram, esses colonos desenvolveram uma cultura distinta agora conhecida como māori.


Foto: Wikipedia_ TamatekapuaMeetingHouse_Photograph James Shook


Os primeiros europeus conhecidos por terem alcançado a Nova Zelândia foram o explorador holandês Abel Tasman e a sua tripulação em 1642, tendo havido confrontos nesse primeiro contacto. Os europeus não voltaram à Nova Zelândia até 1769, quando o explorador britânico James Cook mapeou quase todo o seu litoral.

Foto:http://wallpaperweb.org


A influência europeia transformou o modo de vida da população nativa māori que diminuiu em cerca de 40% do seu nível de pré-contato, durante o século XIX, as doenças trazidas pelos europeus foram o principal factor.


 


A bandeira da Nova Zelândia é azul marinho, e tem no seu lado de cima a esquerda a bandeira da União, com mais 4 estrelas à direita, que representam a constelação de Crux. A primeira bandeira da Nova Zelândia, a bandeira das Tribos Unidas da Nova Zelândia, foi aprovada antes da Nova Zelândia se ter tornado uma colónia britânica. Foi escolhida por uma assembléia de chefes Maori, em 1834, a bandeira era de uma Cruz de São Jorge, com outra cruz no cantão contendo quatro estrelas em um campo azul. Após a formação da colónia em 1841, as insígnias britânicas começaram a ser utilizados. A bandeira atual foi projetada e aprovada para uso restrito em 1869 e tornou-se a bandeira nacional em 1902.

.

O Brasão de armas da Nova Zelândia é o símbolo máximo daquele país. Até 1911, o país utilizou o mesmo Brasão de armas do Reino Unido. A partir desse ano, foi instituído o seu próprio brasão, com pequenas modificações em 1956. Desde o primeiro brasão o escudo central permaneceu inalterado, de acordo com as regras da heráldica: um escudo quartelado contendo no primeiro quarto quatro estrelas representando a Constelação do Cruzeiro do Sul, como a bandeira neozelandesa, mas com diferentes proporções; no segundo quarto a pele macia de uma ovelha indicando a indústria da pecuária; no terceiro um punhado de trigo simbolizando a agricultura; e no quarto, dois machados representando a mineração e a indústria. No meio há uma pala em forma de tira com três navios que fazem referência ao comércio naval, e aos imigrantes que formaram o povo neozelandês. O escudo é sustentado por duas figuras: uma Dama de feições européias segurando a bandeira da Nova Zelândia no lado esquerdo; e um Guerreiro maori segurando a taiaha no lado direito. No topo do escudo há uma Cruz de São Eduardo, e abaixo do escudo, há dois ramos de Cyathea dealbata, uma folha típica do país e um listel contendo o nome do país em inglês: "NEW ZEALAND"

A moeda: Dólar da Nova Zelândia.


Foto: Email Recebido


A sua capital é Wellington. A cidade está situada ao lado de um porto natural, em colinas pendulantes e verdes. Devido aos fortes ventos que sopram na cidade vindos do Estreito de Cook, a cidade é conhecida pelos neozelandeses como Windy Wellington (a Wellington dos ventos). Wellington tornou-se capital da Nova Zelândia em 1865, substituindo Auckland.


Foto: TrekEarth_Xanadu


A cidade possui lindissimas paisagens, entre o porto e as montanhas.

Alguns locais de interesse:

■ Museu Te Papa Tongarewa, museu de historia natural foi inaugurado em 1992.
■ Museu da Colonial Cottage, museu de história colonial foi construído em 1858, e é o edificio mais antigo de Wellington.
■ Majestic Centre é o edificio mais alto de Wellington. Foi desenhado por Jack Manning em associação com Kendon McGrail e foi concluído em 1991. É principalmente usado como espaço para escritórios.
■ Capela de Futuna, foi desenhada pelo arquitecto John Scott e construída pelos Irmãos da Sociedade da Maria.
■ Bucket Fountain, uma fonte constituída por uma série de "baldes", que se enchem de água até deixarem cair a água para os baldes em baixo. A fonte foi desenhada por Burren e Keen em 1969. Por vezes é adicionado detergente à água, para que espalhe bolhas por toda a rua.

As Principais Cidades de Nova Zelândia são: Auckland, Christchurch, Wellington, Hamilton, Rotorua.


Foto: Wikipedia_Miguel A Monjas


Auckland (Maori: Tāmaki - makau-rau) é a maior área metropolitana da Nova Zelândia. Embora Wellington seja a capital da Nova Zelândia, Auckland é a cidade mais importante, sendo a mais populosa e a capital financeira do país. Foi fundada em 1840, e foi a capital da Nova Zelândia até 1865. Umas das características da cidade é que ela localiza-se sobre um vulcão existindo também um grande número de géiseres no local.

Locais de interesse:

■ A Sky Tower (torre do céu) - o edifício mais alto do hemisfério sul, com 328 metros, apenas 8 centímetros menor que a Torre Eiffel.
■ Kelly Tarlton's Underwater World, misto de museu, aquário e mini parque temático.
■ Ponte do Porto de Auckland - uma ponte que atravessa o Porto de Waitemata, juntando Saint Mary's Bay, em Auckland, e Northcote, na Cidade de North Shore.
■ Câmara Municipal de Auckland - um edifício histórico usado tanto para funções administrativas como para concertos na sua afamada sala de concertos. Aberto em 14 de Dezembro de 1911 pelo Barão Islington.
■ Museu Memorial da Guerra de Auckland - museu neoclassicista e um dos mais icónicos símbolos de Auckland.
■ Praça de Aotea - uma grande área pública. Oficialmente aberta em 1979 por Sir Dove-Myer Robinson, a praça perto da Queen Street é usada para concertos ao ar livre, assim como para mercados e manifestações políticas.
■ Auckland Domain - um dos maiores parques da cidade, possuindo uma fantástica vista do porto.
■ Monte Eden - um cone vulcânico com uma cratera de gramínea. Como o ponto mais natural em Auckland, oferece vista de 360 graus da cidade.


Foto: Email Recebido


Christchurch (maori:Ōtautahi) é a maior cidade da Ilha Sul da Nova Zelândia e a segunda maior cidade do país, localizada na costa leste da Ilha Sul ao norte da Península de Banks. É a capital da região de Canterbury. Christchurch é considerada a cidade mais inglesa fora da Inglaterra, foi planeada em meados do século XVIII como uma cidade modelo. A praça da catedral (Cathedral Square) é o coração da cidade.

Alguns Locais de interesse:

■ Museu de Canterbury
■ Ferrymead Heritage Park
■ Parque de vida selvagem de Orana
■ Reserva de vida selvagem de Willowbank
■ Centro Internacional Antárctico
■ Christ Church Cathedral (catedral anglicana), foi construída entre 1864 e 1910.
■ A catedral católica, consagrada em 1905.


Foto: Wikipedia_Greg O'Beirne


Hamilton (Kirikiriroa em maori) é a quarta maior área urbana da Nova Zelândia e a sétima maior cidade do país. Está situada na região de Waikato, na Ilha Norte, cerca de 130 km ao sul de Auckland. É conhecida pelos Jardins de Hamilton e por aqui se realizar em Abril um dos maiores festivais de balões no planeta, que atrai milhares de pessoas de todo o mundo. As Cavernas de Waitomo, perto da cidade, são também muito conhecidas.

Foto: www.1zoom.net


Rotorua situada na ilha norte, um terço da população é maori. Está localizada numa área de muita actividade geo-termal, tendo muitos geysers, fumarolas, nascentes termais de água quente e lagoas da lama quente.


Foto: www.Discoverthetrip.com


A lingua mais falada é o ingles. O idioma maori foi objecto de um processo de revitalização, sendo declarado uma das línguas oficiais da Nova Zelândia em 1987, sendo falado por 4,1% da população. Existem hoje escolas e canais de televisão de língua maori, que têm a maior parte do seu conteúdo de horário nobre exibido em maori. Nos últimos anos, muitos lugares foram oficialmente nomeados em maori e inglês. O samoano é também uma das línguas mais faladas na Nova Zelândia (2,3%), seguido pelo francês, hindu, cantonês e mandarim.


Foto: www.deshow.net


Governo
A Nova Zelandia é uma monarquia constitucional com uma democracia parlamentar, embora a sua constituição não seja codificada. Em 1907, a Nova Zelândia declarou-se um domínio dentro do Império Britânico e em 1947 o país adoptou o Estatuto de Westminster, o que tornou a Nova Zelândia um reino da Commonwealth. Isabel II, como rainha da Nova Zelândia, é a chefe de estado do país e é representada por um governador-geral cerimonial, que detém poderes de reserva. A rainha não tem nenhuma influência política substancial e a sua posição é essencialmente simbólica. O poder politico é mantido pelo parlamento da Nova Zelândia, sob a liderança do primeiro-ministro, que é o chefe de governo do país.


Foto: TrekEarth_Eric Daniels


Cultura
A Nova Zelândia é famosa pelas suas leis sociais e pelo respeito aos direitos humanos. Foi o primeiro país de governo autônomo a dar às mulheres o direito ao voto (1893), e aos idosos o direito às pensões. A cultura da Nova Zelândia é derivada de raízes européias e da adaptabilidade da cultura polinésia aos desafios associados com um ambiente maior e mais diversificado tendo os maoris desenvolvido assim a sua própria cultura. A cultura e hábitos Maoris são ricos e portadores de extrema espiritualidade onde se mantém toda a tradição de suas artes, lendas, tatuagens (moko), danças e roupas. Para eles, tudo o que está presente na natureza é sagrado, representa deuses e está vivo.


Foto: www.orthogonalthought.com


A Arte Maori é muito desenvolvida e predominan desenhos geométricos com significados espirituais. A Dança e a Música Maori estão sempre presentes. A Haka um mantra de guerra, é uma dança ensaiada para afugentar o inimigo, ou dizer que não se está com medo dele. Uma dança coordenada, em que as palavras são cantadas num tom forte e incitando o inimigo a aproximar-se. São utilizadas expressões faciais, caretas, mostram os músculos e fazem movimentos com os braços, dão um passo à frente, com uma postura de quem está prestes a arremessar uma lança e distendem a língua completamente para fora de forma ameaçadora, com signficado apenas de amedrontar. A Haka é cantada também, pela selecção de rugby da Nova Zelândia, os All Blacks.

Foto: Wikipedia_Henry Hbk


Os imigrantes britânicos e irlandeses trouxeram aspectos das suas própria culturas para a Nova Zelândia e também influenciaram a cultura māori, particularmente com a introdução do cristianismo. No entanto, os māori ainda consideram a sua fidelidade a grupos tribais como uma parte vital da sua identidade e os papéis de parentesco da sua cultura  assemelham-se aos de outros povos da Polinésia. Mais recentemente, americanos, australianos, asiáticos e outras culturas europeias exerceram influência sobre a Nova Zelândia. A cultura polinésia não-māori também está presente, com o Pasifika, o maior festival do mundo polinésio, agora sendo um evento anual em Auckland.


Foto: Wikipedia_Avenue


Relativamente à Religião o cristianismo é a religião predominante na Nova Zelândia, cerca de 55% da população identifica-se como cristã, enquanto que 34% não tem qualquer religião. Outras religiões minoritárias significativas incluem o hinduísmo, o budismo e o islamismo.


Foto: TrekEarth_Jimkil


A maior parte da população é de ascendência europeia, sendo os nativos māoris actualmente apenas uma minoria.


Foto: Wikipedia_Andrew Turner

Asiáticos e polinésios não-māori também são grupos de minoria significativa, especialmente em áreas urbanas. O país é predominantemente urbano, com 72% da sua população vivendo em 16 áreas urbanas principais e 53% vivendo nas quatro maiores cidades de Auckland, Christchurch, Wellington e Hamilton.


Economia
A Nova Zelândia é um país desenvolvido que se posiciona muito bem em comparações internacionais sobre desenvolvimento humano, qualidade de vida, esperança de vida, alfabetização, educação pública, paz, prosperidade, liberdade económica, facilidade de fazer negócios, falta de corrupção, liberdade de imprensa, democracia e protecção das liberdades civis e de direitos políticos. As suas cidades também estão entre as "mais habitáveis do mundo". A sua economia é moderna, próspera e desenvolvida. Historicamente, as indústrias extractivas têm contribuído fortemente para a economia da Nova Zelândia, concentrando-se, de acordo com a época, na caça às focas e baleias, linho, ouro, goma kauri e na madeira nativa. O turismo tem também uma importante contribuição.


Foto: Email Recebido


Relevo
O território da Nova Zelândia é longo (mais de 1 600 km ao longo de seu eixo norte-nordeste) e estreito (largura máxima de 400 km), com cerca de 15 134 km de costa e uma área total de 268 021 quilómetros quadrados.


Foto: Email Recebido


A Ilha do Sul é a maior massa de terra da Nova Zelândia e é dividida ao longo de seu comprimento pelos Alpes do Sul. Nessa cordilheira, há 18 picos com mais de 3.000 metros de altura, sendo o maior o Monte Cook, com 3 754 metros.


Foto: discoverthetrip.com


A região de Fiordland tem montanhas íngremes e fiordes profundos, numerosas cascatas, muitas das quais lançam nas suas águas no Mar da Tasmânia. Possui grande número de espécies endémicas. A maior parte da região de Fiordland é coberta pelo Parque Nacional de Fiordland, que é o maior parque da Nova Zelândia e um dos maiores do mundo.


Foto: TrekEarth_smileymiraji


A Ilha do Norte é menos montanhosa, mas é marcada pelo vulcanismo. A altamente activa zona vulcânica de Taupo formou um grande planalto vulcânico, pontuado pela maior montanha da Ilha do Norte, o Monte Ruapehu, com 2 797 metros. O planalto também abriga o maior lago do país, o Lago Taupo, situado na cratera de um dos mais ativos supervulcões do mundo.


Foto: Wikipedia_QFSE MEDIA


O clima da Nova Zelândia é um clima ameno e temperado marítimo, com temperaturas médias anuais variando de 10 °C no sul até 16 °C no norte do país.


Foto: Email Recebido

Natureza - Flora
O Isolamento geográfico da Nova Zelândia, fez com que o país desenvolvesse uma única variedade de flora nativa.


Foto: TrekEarth_FrankDSLR


No entanto, a migração humana levou à importação de muitas outras plantas (geralmente referidos como 'exóticas' na Nova Zelândia).

 


Enquanto a maioria dos fetos do mundo crescem em climas tropicais, a Nova Zelândia abriga um número incomum de fetos para um país de clima temperado. O feto koru, é considerado um símbolo da Nova Zelândia. Existe uma grande variedade de fetos com as mais diversas formas.


Foto: forestwalks_koru

A Nova Zelândia tem 10 espécies de fetos arbóreos, mas existem numerosos no chão, subindo e empoleirar-se. Fetos menores podem ser encontrados ao longo das florestas.


Foto: TrekEarth_Arne


Natureza - Fauna
Devido ao seu relativo isolamento a Nova Zelândia desenvolveu um ecossistema único, cuja característica mais distinta consistia na ausência, até à colonização polinésia, de quaisquer mamíferos terrestres, exceto aqueles que pudessem nadar lá (focas e leões marinhos) ou voar para lá (morcegos).


Foto: Wikipedia_M.Murphy


Isto significa que todos os nichos ecológicos ocupados por mamíferos em outros lugares foram ocupados por insetos ou pássaros, levando a um número invulgarmente elevado de aves que não voam, incluindo o Weka, o Moa, o Kakapo e o kiwi. A Cyathea dealbata e o kiwi, característicos das florestas nativas deste país são símbolos nacionais.


Foto: Wikipedia_Glen Fergus


Por causa da falta de predadores até mesmo os morcegos passam a maior parte do seu tempo no chão. Há também cerca de 60 espécies de lagartos e quatro espécies de sapo (todas raras e ameaçadas de extinção). A Nova Zelândia é também a residência do tuatara, uma espécie antiga de réptil, e do weta, um insecto que pode atingir mais de oito centímetros de comprimento.


Foto: forestwalks.com


Aotearoa a terra das nuvens longas e brancas, como é denominada pelos maoris, com as suas paisagens espectaculares, lagos transparente de águas cristalinas, picos cobertos de neve, belas praias, extensas florestas virgens, uma natureza magestosa, que aliada a uma fascinante cultura, torna este país um local único e a visitar, já que mais não seja virtualmente.


Foto: TrekEarth_Neroli


Fontes e Fotos: Wikipedia; email Recebido; toptravellists.net_New-Zealand-Lake-Wallpaper; http://wallpapers.varjati.com/; http://www.orthogonalthought.com/blog/index.php/2009/01/photo-of-the-day-maori-wood-carver/ ; http://discoverthetrip.com/city/image-gallery/rotorua.html ; http://www.travelandescape.ca/destination/fiordland-national-park/, http://www.forestwalks.com/ecotours.php; http://blogs.scientificamerican.com/; http://www.1zoom.net/Nature/wallpaper/303713/z1946.3/; http://www.deshow.net/travel/; http://wallpaperweb.org; outros

* Fotos: Net
As fotografias sem indicação dos autores é porque não os consegui identificar. Se forem suas, por favor queiram contactar-me que colocarei imediatamente o seu nome, ou retiro-as se for esse o seu desejo. Não é de maneira nenhuma minha intenção quebrar direitos de autor.

Photographs without the authors’ names are because I could not identify them. If they are yours, please contact me and I will put immediately your name, or remove them, if that is your wish. It is not my intention to break authors rights.


Foto: TrekEarth_tony9510


Pode não ser possível viajar fisicamente, mas é sempre possível conhecer outros locais abrindo a janela da net para o mundo.