quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

LISBOA a minha CIDADE - Rossio e Praça da Figueira


No inicio de Janeiro andámos a passear pelo centro de Lisboa. Como adoro partilhar aquilo que vejo e vou fotografando, mas para não ficarem posts muitos extensos, vou mostrando gradualmente.

Hoje: Rossio e Praça da Figueira






A Praça de D. Pedro IV, mais conhecida por Rossio é o "coração" de Lisboa. Com a destruição da maioria dos edificios no terramoto de 1755, a praça foi reconstruída segundo o plano de Carlos Mardel, renascendo uma praça rectangular de 166 m comprimento por 52 m largura. 






Entre 1846 e 1849 é construído na praça o Teatro D. Maria II, passa a ser arborizada, são colocadas as fontes, é inaugurada a estátua de D. Pedro IV, o pavimento é calcetado com mosaico português, a preto e branco e com padrões ondulantes.








A Praça da Figueira antes do Terramoto de 1755 era o local do Hospital de Todos-os-Santos, cujas fundações foram postas a descoberto durante a construção do atual parque de estacionamento subterrâneo. No desenho do Marquês de Pombal para a Baixa, a praça transformou-se no principal mercado da cidade. Em 1885 foi aí construído um mercado coberto, demolido nos anos 50. Na praça encontra-se o pedestal da estátua equestre em bronze de D. João I erguida em 1971, e da autoria de Leopoldo de Almeida. 






Fotos: Pessoais
Texto: Wikipedia


terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Canção - Luis Vaz de Camões




Descalça vai para a fonte
Leonor, pela verdura;
vai formosa e não segura.

Leva na cabeça o pote,
o testo nas mãos de prata,
cinta de fina escarlata,
sainho de chamalote;
traz a vasquinha de cote,
mais branca que a neve pura;
vai formosa e não segura.

Descobre a touca a garganta,
cabelos de ouro o trançado,
fita de cor de encarnado…
tão linda que o mundo espanta!
chove nela graça tanta
que dá graça à formosura;
vai formosa, e não segura.

Luís de Camões


domingo, 22 de fevereiro de 2015

Será - Paulo Roberto Gaefke



Será...

Tudo o que é, deixará de ser,
e tudo o que foi, já não importará mais.
Mas tudo o que será, depende de hoje,
da atitude que você vai tomar agora.

Por isso, não se importe com o que tem,
a falta disso ou daquilo te inspire a lutar,
pois na vida tudo é passageiro,
e mesmo a dor mais profunda,
não sobrevive a passagem dos dias,
e o que realmente conta,
são os dias de alegria,
momentos que você quer eternizar.

Portanto, vive em paz,
segue teu caminho conquistando
tesouros para a eternidade,
seja útil, solidário e fiel,
seja amigo, filho amoroso,
ame sem restrições, seja gentil,
e sempre que possível estenda as mãos.

A paz que você tem,
é a paz que você conquista,
é a união da verdade e do amor,
eternos parceiros do bem estar...

Seja você, na simplicidade do dia,
o próprio amor, que é simples,
por ser simplesmente tudo.

Seja o seu amor como rama,
que quanto mais se espalha,
mais cresce e se fortalece,
e ao chegar onde ninguém esperava,
seja a própria felicidade
que diz que o amor é o rio,
e você o barco que o conduz,
e onde você estiver, com amor,
será mais do que és,
serás a própria Luz.


Autor: Paulo Roberto Gaefke - www.meuanjo.com.br

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Uma fonte, uma asa...




Os anos passam… Já vai sendo tempo
De pensar na Viagem.
Irei bem ou enganei-me? Este caminho
É verdade ou miragem?

Procuro em vão sinais. Em vão persigo
As horas silenciosas.
De olhos abertos, cega, vou andando
Sobre espinhos e rosas.

Errada ou certa é longa a caminhada,
Longo o deserto em brasa.
Ah, não fora, Senhor, esta esperança
De uma fonte, uma asa!

Fonte, Senhor, que mate a longa sede
Desta longa subida.
Asa que ampare o derradeiro passo
No limite da vida.

Ah, Senhor, que mesquinhas as palavras!
Vida ou morte, que importa?
Para entrar e sair a porta é a mesma:
Senhor, abre-me a porta!


Fernanda de Castro

             

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Fantasiar a Vida - Poema de Caio Amaral



Às vezes é preciso...
Destravar as portas,
abrir todas as janelas,
e deixar o vento entrar

Às vezes é preciso...
Decolar num papagaio de papel
e assistir a terra de luneta!

Às vezes é preciso...
Comer pipoca sentado(a) na lua
e escorregar pelas pontas das estrelas

Às vezes é preciso...
Dançar no ventre dos planetas
e sonhar em outras galáxias

Às vezes é preciso...
Rir com os desenhos formados nas nuvens
e dar boas risadas com as bobagens criadas

Algumas vezes é preciso:
Ficar só...Com papel, caneta ou lápis de cor
Anotar os erros acometidos,
colorir o coração
e pintar de verde os sucessos obtidos

Algumas vezes também é preciso...
Colocar mais sol na vida
e mais alegria no viver

Sempre é preciso...
Desatar os cintos da insegurança
E não se esquecer dos sonhos

Sempre é preciso...
Nadar na onda da felicidade,
e viver com a paz no coração!

Caio Amaral

 

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

o Pintor Bob Ross



O pintor Robert Norman "Bob" Ross, nasceu em 1942 em em Daytona Beach, Florida, nos EUA.





Aos 18 anos Ross alistou-se na Força Aérea dos Estados Unidos tendo sido transferido para Eielson AFB (no Alasca), onde viu pela primeira vez neve e montanhas que mais tarde se viriam a tornar temas recorrentes das suas obras.






Depois de deixar a Força Aérea, estudou com Bill Alexander antes de se tornar famoso com o seu próprio programa de televisão, The Joy of Painting.





As suas pinturas traduzem calma e tranquilidade. Ele criava um mundo como ele gostaria de ter, um mundo feliz.

Morreu em Julho de 1995.




Fontes e Fotos:Wikipedia; http://www.bobross.com/; outros Net

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Amor-agarradinho - Antigonon



O amor-agarradinho é uma trepadeira que encanta pelas suas delicadas e perfumadas flores em forma de coração.

Conhecida popularmente entre outros nomes como: Amor-agarradinho, Lágrima-de-noiva ou mimo-do-cé. È de origem mexicana, sendo da família das Polygonaceae. O seu nome científico é Antigonon leptopus.

Foto: floramelitensis.deviantart.com


Esta planta arbustiva perene, pode atingir 10 metros, tendo ramos finos e flexíveis. As suas folhas são em tons de verde claro em forma de coração.

Dependendo da sua variedade, as suas inflorescências são exuberantes, sendo compostas de muitas pequenas flores que podem ser rosa ou brancas. As flores são muito apreciadas pelas abelhas.

Foto: wikipedia_Meneerke

Foto: imgkid.com

Foto: www.flickr.com__oriolus84


Solo:Embora não seja muito exigente o ideal será um solo fértil.
Regas: Devem ser regulares e durante o verão deverão ser diárias.
Clima: Quente e húmido, deve ser cultivada sob sol pleno
Multiplicação: Sementes ou estacas.


Foto: imgkid.com


Em relação ao seu efeito paisagístico é uma planta que fica linda a cobrir muros e cercas, ou enleada em pergolas.


Foto: www.flickr.com_Troupial


Fontes e Fotos: Wikipedia; http://www.mundodeflores.com/; http://www.loja.jardicentro.pt/; http://en.wikipedia.org; 1mst.net; www.pinterest.com; www.treknature; www.flowerpictures.net; floramelitensis.deviantart.com; www.flickr.com; imgkid.com; outros net.

sábado, 14 de fevereiro de 2015

14 de Fevereiro - DIA DOS NAMORADOS






Amar é compartilhar risos e lágrimas, sonhos e desilusões, a rotina e os imprevistos.

Amar é lutar junto contra os ventos desfavoráveis da vida e contra as distâncias que por vezes nos separam.

Amar é pensar no outro antes de pensarmos em nós próprios.

Amar é muito mais do que dizer ou escrever frases lindas, é mostrar no momento certo, que não são apenas palavras mas sim sentimentos profundos que vêm do coração.

"As mais lindas palavras de amor são ditas no silêncio de um olhar." (Leonardo da Vinci) 

Amar é .... a base fundamental de qualquer união, mas nunca podemos esquecer, que o amor é uma flôr delicada, que precisa eternamente de atenção e carinho.

Que o tempo consiga manter vivo, até ao final dos nossos dias, esse sentimento sempre verdadeiro e sentido nos nossos corações e nas nossas almas.

Beijinhos
Maria

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Obrigado AMIGA ZÉLIA



Através da Net tive o imenso prazer de conhecer a Zélia, uma pessoa incrível, com um coração do tamanho do infinito e com uma força de viver que me deslumbra e me serve de referência, quando por algum motivo estou prestes a desanimar.

Ao saber do nascimento da Leonor, e como mora em Valongo e eu em Lisboa, fez questão de enviar pelo Marco,  alguns miminhos lindos para a nossa princesinha.

Aqui está a Leonor a receber os presentinhos.




Vejam como são tão lindos ....




Querida amiga muito OBRIGADO pelos seus encantadores presentes e acima de tudo pela sua AMIZADE.

Que a vida lhe sorria sempre e todos os seus sonhos se tornem realidades.

Beijinhos
Maria

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

A minha hora - Poema de Saúl Dias




Que horas são? O meu relógio está parado,
Há quanto tempo!...
Que pena o meu relógio estar parado
E eu não poder marcar esta hora extraordinária!
Hora em que o sonho ascende, lento, muito lento,
Hora som de violino a expirar... Hora vária,
Hora sombra alongada de convento...

Hora feita de nostalgia
Dos degredados...
Hora dos abandonados
E dos que o tédio abate sem cessar...
Hora dos que nunca tiveram alegria,
Hora dos que cismam noite e dia,
Hora dos que morrem sem amar...

Hora em que os doentes de corpo e alma,
Pedem ao Senhor para os sarar...
Hora de febre e de calma,
Hora em que morre o sol e nasce o luar...
Hora em que os pinheiros pela encosta acima,
São monges a rezar...

Hora irmã da caridade
Que dá remédio aos que o não têm...
Hora saudade...
Hora dos Pedro Sem...
Hora dos que choram por não ter vivido,
Hora dos que vivem a chorar alguém...

Hora dos que têm um sonho águia mas... ai!
Águia sem asas para voar...
Hora dos que não têm mãe nem pai
E dos que não têm um berço p'ra embalar...
Hora dos que passam por este mundo,
De olhos fechados, a sonhar...

Hora de sonhos... A minha hora
- 'Stertor's de sol, vagidos de luar -
Mas... ai! a lua lá vem agora...
- Senhora lua, minha senhora,
Mais um minuto para a minha hora,
Mais um minuto para sonhar...

Saúl Dias 




terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Muito OBRIGADO




Gostaria de poder ir à "casa virtual" de todos os AMIGOS que comemoraram comigo o aniversário da minha mãezinha, mas por motivos profissionais a minha disponibilidade de tempo está bastante reduzida, por isso, deixo aqui o meu sincero OBRIGADO pelas vossas mensagens, carinho e amizade.


"Amigos são anjos que nos deixam de pé quando as nossas asas têm problemas em se lembrar como voar" (cartecia)